quinta-feira, 20 de maio de 2010

As Mãos

Hoje, falarei um pouco sobre as mãos, da maneira que eu as vejo. Se refletirmos a cada parte do nosso corpo, com certeza além do biológico, que eu não sei nada, tem tantas coisas boas, ruim, ou tristes, enfim depende do nosso entendimento, um mundo em cada Órgãos de nosso maravilhoso vaso onde foi plantado nosso espírito, que Deus  nos presenteou aos reencarnarmos. Vejamos: para mim, muitas vezes as mão não tem rosto, não tem corpo, mas tem som. O som que sai da boca de alguem em forma de palavras, podem nos machucar, nos por para baixo, mas também pode nos dar animo, alegria, gratidão. Sabem porque? digo isso, pois pela minha dificuldade de enxergar, sempre preciso estar atenta, principalmente para atravessar as ruas. E sempre tem um mãos amiga, uma mão solidária, que me pergunta se quero ajuda, para atravessar, aceito sempre! pois é reconfortante o auxílio e carinho. Diante disso, o que consigo ver é uma mão estendida, para eu segurar, nos braços, outras vezes, colocam a mão no meu braço, e outras até seguram mesmo na minha mão. A maioria das vezes essa mão, não vejo a porque se  quiser ver, tenho que fazer algo que no mínimo fica deselegante, ou pode dar a impressão de ingratidão. É que para eu conseguir enxergar o rosto da pessoa que está me auxiliando preciso parar, me soltar dela e me afastar, para poder focaliza la, isso se deve ao fato que minha visão ser tubular, precisaria de quase um metro de afastamento. Isso ficaria esquisito para a pessoas que me ajuda. Diante disso, não vejo o rosto, sei se é homem ou mulher pelo tom da voz, e tenho absoluta certeza que são pessoas maravilhosas, digna de confiança, sensíveis pois estão alí de passagem e se propõem em auxiliar o próximo, no  caso uma próxima heheh. As vezes brinco, perguntando se podemos ir, e lembro que se eu for atropelada,  ele ou ela também será, brincadeira a parte não tenho que me queixar, dificilmente preciso pedir ajuda, sempre tem um alma boa para me ajudar.
Engraçado que não fico curiosa para ver o rosto, simplesmente aceito, agradeço, cada um seguindo seu caminho, eu com a alegria de saber que tem pessoas que se importam. Agradeço a todas as mãos, sem rostos que nos ajudam.
Ex: de mãos, que juntas em prece, que salvam em cirurgia, que acariciam, que cobrem um irmãos, nossa são muitas coisas boas com as mãos, tem as ruim tb, mas essas eu deixo pra lá.
E tem as mãos estendidas para ajudar a levantar, seu próximo, seu irmão que está no chão, pela magoa, pelo sofrimento, muitas vezes sem força. Como estender as mãos ao próximo é um ato de amor,, de caridade, e tão importante que com este gesto vidas podem ser salvas.
Obrigada.
 Bel Talarico

2 comentários:

J.Universo disse...

Izabel, lindo texto. Penso em copiá-lo para publicar no meu blog, citarei a fonte. Você concorda e me autoriza? Já me registrei como seguidor do seu blog e estarei de quando em vez dando uma espiada.
Gostei de seus sentimentos e mensagens. Um grande abraço do Universo. - BLOG DO UNIVERSO

Carla ACIC disse...

Bel, adorei teu texto. O dia foi duro conosco hoje. Mas faz parte do processo, passar por estes dias estranhos.
Em breve estaremos em grupo, poderemos conversar. Gostaria de usar uma parte deste seu texto em uma conversa que terei amanhã com uma turma de Psicologia da UFSC. Beijo grande!